Menu fechado

Figuras de linguagem

APOSTILAS PARA SES-SC 2019

APOSTILA PARA FUNDAC- PB 2019

APOSTILA PARA MP-SP 2019

SAIBA POR QUE INDICO AS APOSTILAS OPÇÃO

Linguagem figurada ou figuras de linguagem:

Figuras de linguagemfiguras de estilo ou figuras de retórica são estratégias que o orador (ou escritor) pode aplicar ao texto para conseguir um determinado efeito na interpretação do ouvinte (ou leitor). Podem relacionar-se com aspectos  semânticos,  fonológicos ou  sintáticos das palavras afetadas.

Dentro de um grupo social há vários modos de se usar a Língua Portuguesa. Dentre eles, há um que se institui como língua padrão, e que corresponde ao modo de falar das pessoas mais instruídas, mais cultas dentro do grupo social. É a partir do uso da língua padrão que gramática estabelece as normas daquilo que seria falar ou escrever corretamente,ou seja, as normas da língua culta.

Essas “normas gramaticais” estão sempre sujeitas a “desvios”, tanto na língua falada quanto na escrita. Desvios que podem ocorrer por desconhecimento que o falante tem das normas, configurando o “erro gramatical ou o vício de linguagem”. Ou, então, pode ser provocado pelo usuário que – conhecendo as normas – desvia-se delas para conferir novidade e força expressiva à mensagem. Neste caso, o desvio configura o que se costuma chamar de linguagem figurada ou figuras de linguagem.

Pobre, em sua versão única, para exprimir os diversos significados de que se revestem sentimentos e ideias, a palavra ultrapassa os limites de sua versão oficial (denotativa) para assumir os valores que ela sugere,conota. É isso que dá nova vida a palavra. Fica explicito, portanto, que as palavras se transformam de acordo com as circunstâncias e as sutilezas que o usuário, individualmente, quer que elas exprimam.

É muito difícil para alguém que faz literaturas se fazer entender sem apelar para as figuras de linguagem. Assim, na criação de trabalhos literários, não utilizamos apenas a linguagem convencional, padrão, mas tentamos recriá-la, alterando os sentidos, enfatizando aspectos sonoros, lançando mão, enfim, da linguagem figurada. Enfim, teremos uma figura de linguagem sempre que uma palavra, desviada do seu sentido normal, adquire um novo sentido, um novo significado: “Fios de sol escorriam de um carvalho, perto da estrada”. (Vergílio Ferreira) / “O relógio pingava as horas, uma a uma, vagarosa mente”.

É comum distribuírem-se as figuras de linguagem em quatro categorias:

1. Figuras de Palavras – quando empregamos um termo com sentido diferente do usual, do dicionarizado:

 Comparação; Metáfora; Catacrese; Sinestesia; Metonímia; Sinédoque; Antonomásia (ou Perífrase).

2. Figuras Sintáticas ou de Construção – quando há repetições, omissões de termos, desvios em relação à concordância entre os termos da oração e a ordem em que estes termos aparecem na frase:

• Silepse; Elipse; Zeugma; Assíndeto; Polissíndeto; Anáfora; Pleonasmo; Hipérbato; Anacoluto; Anástrofe; Sinquise; Polissíndeto; Assíndeto; Epístrofe; Anadiplose; Diácope; Epânodo; Epizeuxe; Antimetábole (ou Quiasmo).

3. Figuras de Pensamento – quando a palavra sofre uma alteração, um desvio intencional que se realiza na esfera do pensamento:

• Antítese; Paradoxo; Ironia; Perífrase; Eufemismo; Gradação, Apóstrofe; Litotes; Alusão; Personificação (ou Prosopopeia); Exclamação; Interrogação; Reticência; Oximoro; Antanáclase; Epanortose; Preterição; Gradação; Clímax; Anticlímax; Concatenação; Hipérbole.

4. Figuras Fonéticas ou de Som – quando os sons se destacam expressivamente: Aliteração, Assonância, Paronomásia, Onomatopeia.

Esta divisão está sujeita a variações, de forma a estabelecerem-se vínculos estruturais e de significação entre as várias figuras. Este procedimento traz, em relação ao padronizado, uma grande vantagem em termos de consulta e memorização.

A linguagem figurada não é exclusiva do texto literário (prosa ou poesia), pois ela é indispensável à própria comunicação. A linguagem figurada faz parte da retórica – arte e técnica de tornar um discurso mais convincente.

Porém, isso não significa que alguém não possa usar as figuras inconscientemente. Tal fato ocorre muito na linguagem coloquial. Você, provavelmente, utiliza muito dessas figuras de linguagem quando fala ou escreve alguma coisa. Pois, a capacidade de criação não é exclusiva dos grandes gênios. Quando falamos ou escrevemos, estamos, mesmo sem perceber, colocando em prática nosso potencial criativo.     Este texto oi desenvolvido por  Ricardo Sérgio . http://www.ricardosergio.net

Agora aprofundaremos as figuras de linguagem:

 

 

METÁFORA

É o emprego de uma palavra com o significado de outra em vista de uma relação de semelhanças entre ambas. É uma comparação subentendida.

Exemplo:

Minha boca é um tumulo.

Essa rua é um verdadeiro deserto.

 

COMPARAÇÃO

Consiste em atribuir características de um ser a outro, em virtude de uma determinada semelhança.

Exemplo:

O meu coração está igual a um céu cinzento.

O carro dele é rápido como um avião.

 

METÁFORA X COMPARAÇÃO

A comparação e a metáfora são muito parecidas. Ambas empregam as palavras fora do seu sentido normal, por analogia. A diferença entre elas está no uso de termos comparativos.

A metáfora é um tipo de comparação implícita, sem termo comparativo, estabelecendo uma relação de semelhança, usando termos com significados diferentes do habitual. Por exemplo: A menina é fogo!

A comparação usa alguns termos de conexão para comparar características entre dois ou mais elementos. Por exemplo:  Ele é rápido como uma lebre

 

PROSOPOPEIA

É uma figura de linguagem que atribui características humanas a seres inanimados. Também podemos chamá-la de PERSONIFICAÇÃO.

Exemplo:

O céu está mostrando sua face mais bela.

O cão mostrou grande sisudez.

 

SINESTESIA

Consiste na fusão de impressões sensoriais diferentes.

Exemplo:

Raquel tem um olhar frio, desesperador.

Aquela criança tem um olhar tão doce.

 

CATACRESE

É uma metáfora desgastada, tão usual que já não percebemos. Assim, a catacrese é o emprego de uma palavra no sentido figurado por falta de um termo próprio.

Exemplo:

O menino quebrou o braço da cadeira.

manga da camisa rasgou.

 

METONÍMIA

É a substituição de uma palavra por outra, quando existe uma relação lógica, uma proximidade de sentidos que permite essa troca. Ocorre metonímia quando empregamos:

– O autor pela obra.

Exemplo:

Li Jô Soares dezenas de vezes. (a obra de Jô Soares)

– o continente pelo conteúdo.

Exemplo:

O ginásio aplaudiu a seleção. (ginásio está substituindo os torcedores)

– a parte pelo todo.

Exemplo:

Vários brasileiros vivem sem teto, ao relento. (teto substitui casa)

– o efeito pela causa.

Exemplo:

Suou muito para conseguir a casa própria. (suor substitui o trabalho)

 

PERÍFRASE

É a designação de um ser através de alguma de suas características ou atributos, ou de um fato que o celebrizou.

Exemplo:

A Veneza Brasileira também é palco de grandes espetáculos. (Veneza Brasileira = Recife)

A Cidade Maravilhosa está tomada pela violência. (Cidade Maravilhosa = Rio de Janeiro)

 

ANTÍTESE

Consiste no uso de palavras de sentidos opostos.

Exemplo:

Nada com Deus é tudo.

Tudo sem Deus é nada.

 

EUFEMISMO

Consiste em suavizar palavras ou expressões que são desagradáveis.

Exemplo:

Ele foi repousar no céu, junto ao Pai. (repousar no céu = morrer)

Os homens públicos envergonham o povo. (homens públicos = políticos)

 

HIPÉRBOLE

É um exagero intencional com a finalidade de tornar mais expressiva a ideia.

Exemplo:

Ela chorou rios de lágrimas.

Muitas pessoas morriam de medo da perna cabeluda.

 

IRONIA

Consiste na inversão dos sentidos, ou seja, afirmamos o contrário do que pensamos.

Exemplo:

Que alunos inteligentes, não sabem nem somar.

Se você gritar mais alto, eu agradeço.

 

ONOMATOPEIA

Consiste na reprodução ou imitação do som ou voz natural dos seres.

Exemplo:

Com o au-au dos cachorros, os gatos desapareceram.

Miau-miau. – Eram os gatos miando no telhado a noite toda.

PORTUGUÊS PARA CONCURSOS 2019

 

ALITERAÇÃO

Consiste na repetição de um determinado som consonantal no início ou interior das palavras.

Exemplo:

O rato roeu a roupa do rei de Roma.

 

ELIPSE

Consiste na omissão de um termo que fica subentendido no contexto, identificado facilmente.

Exemplo:

Após a queda, nenhuma fratura.

 

ZEUGMA

Consiste na omissão de um termo já empregado anteriormente.

Exemplo:

Ele come carne, eu verduras.

 

PLEONASMO

Consiste na intensificação de um termo através da sua repetição, reforçando seu significado.

Exemplo:

Nós cantamos um canto glorioso.

 

POLISSÍNDETO

É a repetição da conjunção entre as orações de um período ou entre os termos da oração.

Exemplo:

Chegamos de viagem e tomamos banho e saímos para dançar.

 

ASSÍNDETO

Ocorre quando há a ausência da conjunção entre duas orações.

Exemplo:

Chegamos de viagem, tomamos banho, depois saímos para dançar.

 

ANACOLUTO

Consiste numa mudança repentina da construção sintática da frase.

Exemplo:

Ele, nada podia assustá-lo.

Nota: o anacoluto ocorre com freqüência na linguagem falada, quando o falante interrompe a frase, abandonando o que havia dito para reconstruí-la novamente.

 

ANÁFORA

Consiste na repetição de uma palavra ou expressão para reforçar o sentido, contribuindo para uma maior expressividade.

Exemplo:

Cada alma é uma escada para Deus,

Cada alma é um corredor-Universo para Deus,

Cada alma é um rio correndo por margens de Externo

Para Deus e em Deus com um sussurro noturno. (Fernando Pessoa)

 

SILEPSE

Ocorre quando a concordância é realizada com a ideia e não sua forma gramatical. Existem três tipos de silepse: gênero, número e pessoa.

De gênero.

Exemplo:

Vossa excelência está preocupado com as notícias. (a palavra vossa excelência é feminina quanto à forma, mas nesse exemplo a concordância se deu com a pessoa a que se refere o pronome de tratamento e não com o sujeito).

De número.

Exemplo:

A boiada ficou furiosa com o peão e derrubaram a cerca. (nesse caso a concordância se deu com a ideia de plural da palavra boiada).

De pessoa

Exemplo:

As mulheres decidimos não votar em determinado partido até prestarem conta ao povo. (nesse tipo de silepse, o falante se inclui mentalmente entre os participantes de um sujeito em 3ª pessoa).

 

SÍNTESE DO TUTORIAL

As figuras de linguagem são recursos não-convencionais que o falante ou escritor cria para dar maior expressividade à sua mensagem.

Metáfora é o emprego de uma palavra com o significado de outra em vista de uma relação de semelhança.

Comparação é uma atribuição de característica de um ser a outro em virtude de uma determinada semelhança.

Prosopopeia atribui características humanas a seres inanimados.

Sinestesia consiste na fusão de impressões sensoriais diferentes.

Catacrese é uma metáfora desgastada, tão usual que já não percebemos, ou seja, é o emprego de uma palavra no sentido figurado por falta de um termo próprio.

Metonímia é a substituição de uma palavra por outra, quando existe uma relação lógica, uma proximidade de sentidos que permite essa troca.

Perífrase é a designação de um ser através de alguma de suas características ou atributos, ou de um fato que o celebrizou.

Antítese consiste no uso de palavras de sentidos opostos.

Eufemismo consiste em suavizar palavras ou expressões que são desagradáveis.

Hipérbole é um exagero intencional com a finalidade de tornar mais expressiva à ideia.

Ironia consiste na inversão dos sentidos, ou seja, afirmamos o contrário do que pensamos.

Onomatopeia consiste na reprodução ou imitação do som ou voz natural dos seres.

Aliteração consiste na repetição de um determinado som consonantal no início ou interior das palavras.

Elipse consiste na omissão de um termo que fica subentendido no contexto, identificado facilmente.

Zeugma consiste na omissão de um termo já empregado anteriormente.

Pleonasmo consiste na intensificação de um termo através da sua repetição, reforçando seu significado.

Polissíndeto é a repetição da conjunção entre as orações de um período ou entre os termos da oração.

Assíndeto ocorre quando há a ausência da conjunção entre duas orações.

Anacoluto consiste numa mudança repentina da construção sintática da frase.

Anáfora consiste na repetição de uma palavra ou expressão para reforçar o sentido, contribuindo para uma maior expressividade.

Silepse ocorre quando a concordância é realizada com a ideia e não sua forma gramatical. Existem três tipos de silepse: gênero, número e pessoa.

Este texto foi retirado do site de Julio Battisti

 

01. (VUNESP) No trecho: “…dão um jeito de mudar o mínimo para continuar mandando o máximo”, a figura de linguagem presente é chamada:

a) metáfora
b) hipérbole
c) hipérbato
d) anáfora
e) antítese

02. (PUC – SP) Nos trechos: “O pavão é um arco-íris de plumas” e “…de tudo que ele suscita e esplende e estremece e delira…” enquanto procedimento estilístico, temos, respectivamente:

a) metáfora e polissíndeto;
b) comparação e repetição;
c) metonímia e aliteração;
d) hipérbole e metáfora;
e) anáfora e metáfora.

03. (PUC – SP) Nos trechos: “…nem um dos autores nacionais ou nacionalizados de oitenta pra lá faltava nas estantes do major” e “…o essencial é achar-se as palavras que o violão pede e deseja” encontramos, respectivamente, as seguintes figuras de linguagem:

a) prosopopeia e hipérbole;
b) hipérbole e metonímia;
c) perífrase e hipérbole;
d) metonímia e eufemismo;
e) metonímia e prosopopeia.

04. (VUNESP) Na frase: “O pessoal estão exagerando, me disse ontem um camelô”, encontramos a
figura de linguagem chamada:

a) silepse de pessoa
b) elipse
c) anacoluto
d) hipérbole
e) silepse de número

05. (ITA) Em qual das opções há erro de identificação das figuras?

a) “Um dia hei de ir embora / Adormecer no derradeiro sono.” (eufemismo)
b) “A neblina, roçando o chão, cicia, em prece. (prosopopéia)
c) Já não são tão freqüentes os passeios noturnos na violenta Rio de Janeiro. (silepse de número)
d) “E fria, fluente, frouxa claridade / Flutua…” (aliteração)
e) “Oh sonora audição colorida do aroma.” (sinestesia)

06. (UM – SP) Indique a alternativa em que haja uma concordância realizada por silepse:

a) Os irmãos de Teresa, os pais de Júlio e nós, habitantes desta pacata região, precisaremos de muita força para sobreviver.
b) Poderão existir inúmeros problemas conosco devido às opiniões dadas neste relatório.
c) Os adultos somos bem mais prudentes que os jovens no combate às dificuldades.
d) Dar-lhe-emos novas oportunidades de trabalho para que você obtenha resultados mais satisfatórios.
e) Haveremos de conseguir os medicamentos necessários para a cura desse vírus insubordinável a qualquer tratamento.

07. (FEI) Assinalar a alternativa correta, correspondente à figuras de linguagem, presentes nos fragmentos abaixo:

I.   “Não te esqueças daquele amor ardente que já nos olhos meus tão puro viste.”

II.  “A moral legisla para o homem; o direito para o cidadão.”

III. “A maioria concordava nos pontos essenciais; nos pormenores porém, discordavam.”

IV. “Isaac a vinte passos, divisando o vulto de um, pára, ergues a mão em viseira, firma os olhos.”

a) anacoluto, hipérbato, hipálage, pleonasmo;
b) hipérbato, zeugma, silepse, assíndeto;
c) anáfora, polissíndeto, elipse, hipérbato;
d) pleonasmo, anacoluto, catacrese, eufemismo;
e) hipálage, silepse, polissíndeto, zeugma.

08. (FEBA – SP) Assinale a alternativa em que ocorre aliteração:

a) “Água de fonte ………. água de oceano …………. água de pranto. (Manuel Bandeira)
b) “A gente almoça e se coça e se roça e só se vicia.” (Chico Buarque)
c) “Ouço o tique-taque do relógio: apresso-me então.” (Clarice Lispector)
d) “Minha vida é uma colcha de retalhos, todos da mesma cor.” (Mário Quintana)
e) N.d.a.

09. (CESGRANRIO) Na frase “O fio da idéia cresceu, engrossou e partiu-se” ocorre processo de gradação. Não há gradação em:

a) O carro arrancou, ganhou velocidade e capotou.
b) O avião decolou, ganhou altura e caiu.
c) O balão inflou, começou a subir e apagou.
d) A inspiração surgiu, tomou conta de sua mente e frustrou-se.
e) João pegou de um livro, ouviu um disco e saiu.

10. (FATEC) “Seus óculos eram imperiosos.” Assinale a alternativa em que aparece a mesma figura de linguagem que há na frase acima:

a) “As cidades vinham surgindo na ponte dos nomes.”
b) “Nasci na sala do 3° ano.”
c) “O bonde passa cheio de pernas.”
d) “O meu amor, paralisado, pula.”
e) “Não serei o poeta de um mundo caduco.”

Respostas:

01. E 02. A 03. E 04. E
05. C 06. C 07. B 08. B
09. E 10.C

Se gostou do artigo faça um comentário e se inscreva no site para receber todas as atualizações

Dica: Para você que não esta encontrando o conteúdo que precisa ou prefere estudar por apostilas dá uma olhada no site Apostilas Opção, lá eles tem praticamente todas as apostilas atualizadas de todos os concursos abertos. Caso queira saber por que indico as Apostilas Opção clique aqui!

CONFIRA AQUI MELHORES APOSTILAS DO MERCADO!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *