Menu fechado

Fintechs

Fintechs

 

Fintechs (financial technology (tecnologia financeira, em português)) são empresas que introduzem inovações nos mercados financeiros por meio do uso intenso de tecnologia, com potencial para criar novos modelos de negócios. Atuam por meio de plataformas online e oferecem serviços digitais inovadores relacionados ao setor.

Caso preferir, no vídeo abaixo tem esta postagem em áudio e vídeo

As fintechs também se referem a startups ou empresas que desenvolvem produtos financeiros totalmente digitais, nas quais o uso da tecnologia é o principal diferencial em relação às empresas tradicionais do setor.

 

Diferença entre fintechs e startups

Farei um vídeo sobre startups, mas a diferença básica entre fintechs e startups é que as startups, apesar de também serem empresas inovadoras focada em tecnologia, estão iniciando suas atividades e não são necessariamente do setor financeiro, mas tem grandes possibilidades de crescimento.

Concluindo, uma fintech pode até surgir como startups, mas foca seus trabalhos somente no setor financeiro.

 

Categorias de fintechs:

 

Fintechs de pagamento: Compra e venda

Fintechs de crédito ou empréstimo: Crédito e empréstimo

Fintechs de crowdfunding: Financiamento coletivo.

Fintechs de Bitcoins e blockchain: Transações de criptomoedas

Fintechs de controle financeiro (gestão financeira): Controle de gastos

Fintechs de investimento: Corretoras de valores

Fintechs de seguro: Seguradoras

Fintechs de negociação de dívidas: renegociação e recuperação de crédito

Fintechs de câmbio: remessa e recebimento de dinheiro do/para o  exterior

Fintechs multisserviços: Vários serviços em um só lugar.

 

Podem ser autorizadas a funcionar no país dois tipos de fintechs de crédito para intermediação entre credores e devedores por meio de negociações realizadas em meio eletrônico:

Sociedade de Crédito Direto (SCD) e a Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP), cujas operações constarão do Sistema de Informações de Créditos (SCR).

 

Sociedade de Crédito Direto (SCD)

O modelo de negócio da SCD caracteriza-se pela realização de operações de crédito, por meio de plataforma eletrônica, com recursos próprios. Ou seja, esse tipo de instituição não pode fazer captação de recursos do público.

 

Sociedade de Empréstimo entre pessoas (SEP)

A SEP realiza operações de crédito entre pessoas, conhecidas no mercado como peer-to-peer lending. Nessas operações eletrônicas, a fintech se interpõe na relação entre credor e devedor, realizando uma clássica operação de intermediação financeira, pelos quais podem cobrar tarifas. Ao contrário da SCD, a SEP pode fazer captação de recursos do público, desde que eles estejam inteira e exclusivamente vinculados à operação de empréstimo.

 

Autorização

Para entrar em operação, as fintechs que quiserem operar como SCD ou SEP devem solicitar autorização ao Banco Central.

No Brasil, as fintechs estão regulamentadas desde abril de 2018 pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) – Resoluções 4.656 e 4.657.

 

A maioria das fintechs são reguladas e monitoras pelo Banco Central, CVM ou Susep.

 

Benefícios das fintechs

 

  • Aumento da eficiência e concorrência no mercado de crédito
  • Rapidez e celeridade nas transações
  • Diminuição da burocracia no acesso ao crédito
  • Criação de condições para redução do custo do crédito
  • Inovação
  • Acesso ao Sistema Financeiro Nacional.

 

Fonte: A maioria deste conteúdo foi retirado do site do Banco Central do Brasil.

 

Se quiser aprofundar mais o assunto clique no link abaixo:

https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/fintechs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *